Parceria entre UEL e empresa Londrinense permite uso de software da área contábil

Foi assinado na última sexta-feira (5) convênio de cessão de uso entre a UEL e a empresa londrinense Exactus Software, cujo objetivo é permitir o uso do software de informação fiscal e comercial. A solenidade oficial, realizada no Museu Histórico de Londrina, reuniu professores da UEL, empresários e autoridades locais.

Conforme estabelece o convênio de cessão de uso, estudantes e professores da UEL poderão posteriormente receber treinamento e capacitação para o uso da tecnologia. Portanto, alunos dos cursos de Ciências Contábeis, Administração e Economia e demais áreas de estudos sociais aplicados terão acesso ao software para estruturação fiscal – robô inteligente e-eficatus.

O robô foi desenvolvido pela empresa londrinense, que se tornou pioneira em aplicar inteligência artificial na contabilidade e escrita fiscal. A ideia é o uso da inteligência artificial para simplificar o processo de integração financeira entre empresas e escritórios de contabilidade.

Participaram da solenidade que oficializou a parceria, o vice-reitor da UEL, Décio Sabbatini Barbosa, o empresário Romeu Dematté Junior, da Exactus, a diretora do CESA, Tânia Lobo Muniz, professor Saulo Fabiano Amâncio, chefe do Departamento de Administração, professora Maria Aparecida Scarpin, chefe do Departamento de Ciência Contábeis, o coordenador do Colegiado do curso de Administração, professor Hamil Adum Filho, a diretora do Museu Histórico de Londrina, Edméia Aparecida Ribeiro e Laudelino Jochem, presidente em exercício do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), do Paraná.

Primeiro computador – Outro destaque da solenidade foi a doação ao Museu Histórico de Londrina/UEL pela empresa Exactus, de componentes do primeiro computador de Londrina, que chegou à região em 1970. Com memória de 264 k e fabricado com circuitos em ouro, o equipamento custou aproximadamente 400 mil dólares, sendo que ocupou uma sala de 54 metros quadrados, sendo desativado em 1977.

Para a diretora do Museu Histórico de Londrina, Edméia Ribeiro, a exposição dos componentes ajudará as futuras gerações a se identificarem e construírem a memória a partir dos avanços tecnológicos. A diretora explica ainda que, inicialmente, os componentes ficarão disponíveis na reserva técnica do museu, já que não há, ainda, na exposição permanente, um cenário temático sobre tecnologia.

Livro – Também foi lançado o livro “Tratactus Evolution-Contabilidade Colaborativa” (Editora Conhecimento, 2019), de autoria de Romeu Dematté, que propõe uma linguagem de 7ª geração para o desenvolvimento de contabilidades informatizadas. Tem prefácio do presidente em exercício do CRC, Laudelino Jochem.

Na ocasião também foi registrado o lançamento da primeira Cooperativa de Apoio Tecnológico e Inteligência Artificial para Empresas Contábeis do Paraná. A entidade foi lançada por um grupo de contadores.

Fonte: uel.com.br