Apresentação do comprovante de escolaridade e de domicílio

Ministério do Trabalho

Trabalhador deverá apresentar comprovante de escolaridade e de domicílio para habilitar-se

 

O Ministério do Trabalho e Emprego e da Educação e Cultura, através da Portaria Interministerial MTE/MEC nº 17/2013 de 18/12/2013, divulgou os procedimentos necessários às rotinas de encaminhamento do trabalhador requerente ou beneficiário do seguro-desemprego a cursos de formação inicial e continuada (FIC) ou de qualificação profissional, no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

De acordo com a Portaria, além da documentação exigida para habilitar-se ao seguro-desemprego, o trabalhador deverá apresentar os originais e cópias dos comprovantes de escolaridade e de domicílio. O comprovante de domicílio poderá ser em nome próprio, do cônjuge ou de familiar.

Caso não disponha dos comprovantes, as informações relativas à escolaridade e ao endereço do Requerimento de Seguro-Desemprego, declaradas como verídicas, datadas e assinadas pelo trabalhador, serão utilizadas para encaminhamento aos cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional concedidos no âmbito do Pronatec.

Vale lembrar que o recebimento de assistência financeira pelo trabalhador segurado que solicitar o benefício de seguro-desemprego a partir da 2ª vez dentro de um período de 10 anos poderá ser condicionado à comprovação de matrícula e frequência em curso de formação inicial e continuada ou de qualificação profissional, habilitado pelo Ministério da Educação, com carga horária mínima de 160 horas.

 

Fonte: IOB

 

por Cristiano Ribas, Analista de Regras de Negócio – Sistema Winner na Exactus Software

 
Comments
 
Comments

No comments yet.

Leave a Reply
*